domingo, julho 03, 2005

Pra gente ser feliz

Identifiquei-me muito com este texto, já que no último mês vários pequenos acontecimentos me fizeram rever as prioridades da minha vida. O mais curioso é que por tanto tempo padeci com preocupações que nessa revisão foram renegadas a último plano. Isso porque quando reavaliei a minha vida, os meus objetivos e minhas atitudes. Conclui que a única coisa que quero no mundo é ser feliz, e o resto é só conseqüência disso.

O ser humano tem essa tendência horripilante de achar que tudo que não tem e que não viveu é aquilo que o fará feliz, assim, nunca se contenta com o que tem, e passa pela vida sem perceber que a felicidade está no cotidiano, em andar no parque com um belo sol, em ver o pôr do sol, em dançar até as pernas doerem, em sentar num bar com seus amigos, em ouvir as novidades da turma, em reencontrar aqueles que você sente falta, em acordar e o dia estar lindo, em se emocionar vendo um bom filme....

Tantas pequenas coisas nos fazem felizes, e ainda assim, não reconhecemos a felicidade e esperamos por algo grande que nos fará irremediavelmente felizes. Mas agora só quero é me deleitar com essas e outras pequenas coisas que me fazem enormemente feliz. Mesmo que o banzo e o cansaço me façam momentaneamente duvidar do milagre que é viver e ser feliz.

O mundo é perfeito nas suas imperfeições


Daniela Guima é jornalista e escreve no www.candango.com.br

Esses dias passaram comigo, assim... bem cabisbaixa. Andei pensando numa porção de coisas que poderiam ser diferentes, sempre tendo à minha frente um ideal de vida tranqüila e perfeita. Na verdade, estava incomodada pela falta de ordem nas coisas, pela maneira caótica como os acontecimentos chegam a mim. Estava numa onda de pessimismo e, pior, me achando vítima da situação. Foram uns três ou quatro dias de banzo.

Esse período acabou e deu lugar a um frescor, a uma brisa calma, mas cheia de ânimo. Depois de ficar com uma tromba inútil, triste e infeliz, abri meus olhos e passei a ver uma porção de coisinhas. Comecei a perceber que o mundo é perfeito nas suas imperfeições. Na forma como os fatos acontecem por linhas tortas e, no final das contas, mandam a mensagem certa. Cheguei a uma confortante bifurcação: ou a vida é de uma sabedoria infinita, ou o homem é mesmo um bicho com incrível capacidade de superação. Ou, melhor ainda (opa, é uma ‘trifurcação’!): essas duas hipóteses podem ser verdadeiras.

Sempre que pode, o ser humano sacode a poeira e dá a volta por cima, com o coração cheio de renovada esperança. Um exemplo disso é a forma como os brasileiros estão lidando com esse momento que veio à tona com revelações daquela figura impagável, que nesses dias se refestelou nos televisores desse país. É... ele mesmo. O tal Roberto Jefferson. Por mais que seja ruim ver o Brasil ter suas entranhas tão à mostra. Por mais que a gente não saiba se o que ele fala é verdade ou não. Esse homem é um abalo sísmico que tirou o chão de muita gente. Ele está mexendo com brios e estruturas de uma porção de pessoas - tanto lá no poder, quanto nas ruas. E isso é bom! E isso é curativo! Que tal, então, combinarmos de pensar assim? “Que bom que isso tudo está vindo à luz. É um primeiro passo para os políticos mudarem e perceberem coisas importantes”. Pensa bem. É ou não é? Tudo que acontece na nossa vida tem uma razão de ser. E, no final das contas, a gente dá um jeito de aprender com isso. Trata-se de uma fórmula muito misteriosa e engenhosa que a vida inventou para nos fazer evoluir. Perdeu o emprego? Seu amor partiu para outra? Levante a cabeça e siga adiante. Se tiver necessidade, dê espaço para viver o seu período de ‘luto’, seja qual for a razão. Mas procure logo, ‘loguinho’ mesmo, sair depressa do buraco onde se meteu. Sucesso é sinônimo de pessoas que levantam depressa das quedas. Porque cair, todo mundo cai. O que você vai fazer com esse tombo, esse aprendizado, cabe tão somente a você. Em toda crise habita uma nova oportunidade.

Nós temos o poder de dar o sentido que quisermos para toda e qualquer situação que se apresente. Então se o seu grande objetivo é ser feliz, use as lentes da felicidade para olhar à sua volta. Tudo nessa vida tem, sim, seu lado bom.

1 comentários:

fernando mendonça disse...

Oi, amandita; tenho a leve impressão de que já ouvi isso antes...:)
concordo meio mais ou menos com isso...é um assunto complexo.
Mas bater um papo solto com vc no dia dia é uma dessas coisas que me deixa feliz, tipo sair do banheiro com banho tomado e dente escovado depois de um dia cheio e deitar em roupa de cama limpa...hhehehe nada a ver, mais é sério.
bj