terça-feira, novembro 03, 2009

Procrastinar

Acho que é inerente do ser humano, mas muito nítido em mim mesma, a tendência a postergar, ou, no estrangeirismo, procrastinar. Basta eu ter muitas atribuições que minha vontade é deixar para depois, ver um filme, navegar na internet, ler futilidades, escrever no blog...
Essa variável é inversamente proporcional ao nível de coerção. Se vejo que não serei repreendida pelo não cumprimento da tarefa no prazo, deixo para mais tarde. O problema é que sou muito "pequena burguesa", então, no último segundo, me desespero e vou correr para cumprir o prazo. Resultado: estresse.
No entanto, você, caro único leitor amigo, pode adivinhar o que me faz querer muito fazer algo sem deixar para depois? A novidade.
Toda aquela perspectiva de um novo mundo é muito estimulante. Pena que a maioria das coisas perde o encanto muito rápido.

1 comentários:

Nely ✿ disse...

Amanda, me li nesse texto!
Sua última frase me fez pensar: será que há de fato algum encanto em algo ou o encanto é nosso?